sábado, 31 de março de 2012

Quadrilha envolvida com pistolagem é presa no Sertão

A Polícia Militar de Belém do São Francisco, no Sertão de Pernambuco, prendeu na tarde dessa quinta-feira (29) três integrantes de uma quadrilha de matadores de aluguel, que vinha atuando, havia aproximadamente três anos.
Foram presos o soldado da PM Raniere Araujo Leite Marques de Sá, 32 anos, lotado no 9° BPM (Garanhuns); o irmão dele Rinaldo Leite Marques Sá Júnior, 28; e Jardel Lopes Freire da Silva, 29. Com eles, foram apreendidas três pistolas, sendo duas calibre 40 e outra calibre 380, além de um veículo modelo Palio, placa KLP-6416, usado pela quadrilha nos homicídios.

Segundo o major Queiroga, comandante da 1ª CIPM e que comandou as prisões, a quadrilha estava sendo investigada tanto pelo Serviço de Inteligência da PM quanto pela Polícia Civil, sendo suspeita da prática de 20 homicídios, ocorridos nas cidades de Belém, Floresta, Petrolândia e Ibimirim, no Sertão.

PRESENTE AO VELÓRIO - Ainda de acordo com o comandante, o que chamou a atenção foi a frieza da quadrilha que, na última quarta-feira (28), fez mais uma vítima em Belém do São Francisco, por encomenda. Usando um carro que pertencia a Jardel Lopes (um dos presos), a quadrilha sequestrou, na Avenida Jerônimo Pires, por volta das 18h30, o estudante de direito Erick Cruz, 18 anos, no momento em que ele saía da loja de eletrodomésticos em que trabalhava. Após 15 minutos, a quadrilha assassinou o garoto com 15 tiros de pistola, próximo à saída da cidade, fugindo em seguida para Floresta, onde os três moram.
“Mais estarrecedor, ainda, é que o soldado foi para o velório da vítima nessa quinta (29), pois namorava uma prima do jovem assassinado. Assim, ele achou que jamais levantaria qualquer tipo de suspeita. Entretanto, já sabíamos da participação dele e o prendemos durante o cortejo fúnebre, portando duas pistolas calibre 40”, disse o comandante.

Os três presos foram encaminhados à Delegacia de Floresta, onde Rinaldo Júnior e Jardel Freire confessaram o crime. Já o soldado PM, orientado por seu advogado, disse que só se pronunciaria em juízo. Rinaldo Júnior e Jardel Freire foram encaminhados à Cadeia de Petrolândia, enquanto o soldado foi conduzido ao Centro de Reeducação da PM (CREED), em Paratibe, Paulista.